quarta-feira, 29 de abril de 2009

Um filme para Baby e o palco para o Brasil


Por Anderson Cacilhas

Foto: Divulgação


Os Novos Baianos estão de volta. E para quem morre de saudade do som que reúne as maravilhosas distorções da guitarra de Pepeu Gomes com o swing e a sofisticação da MPB pode ficar mais feliz ainda. Baby do Brasil, a eterna Baby Consuelo, vai estar nas próximas apresentações e terá sua vida documentado em um longa-metragem que leva seu nome.

Depois da homenagem no carnaval de Salvador pelos 40 anos de surgimento dos Novos Baianos, que teve a participação da agora evangélica Baby do Brasil, o grupo se prepara para se juntar mais uma vez e fazer uma primeira aparição em São Paulo . Depois eles vão ganhar a estrada de todo o país com a Baby na garupa.

Se isso vai acontecer mesmo só o tempo dirá, mas pelos menos tudo vai ficar registrado para as devidas observações. Os cineastas Rafael Saar e Eduardo Silva, do Rio de Janeiro, iniciaram em Salvador, durante o carnaval deste ano, as filmagens do documentário "Baby do Brasil".

O longa-metragem vai contar a história de sua vida e carreira e será montado a partir de entrevistas com a cantora, material de arquivo e filmagens de seus shows e cultos.

As influências musicais, a espiritualidade, a voz, o corpo, o visual, as cores e a família farão parte deste caleidoscópio cinematográfico que pretende abranger todas as fases da vida da artista, desde os Novos Baianos, passando pela carreira solo como Baby Consuelo, até sua vida religiosa.

Ainda em fase de captação de recursos, o longa já começou a ser filmado em Salvador e agora vai viajar à São Paulo para a retomada dos shows da turma de Baby, Pepeu e Moreira.


COMO ANTES

E não pára por aí o retorno de Baby. Ela já prepara um CD. É a onda retrô invadindo mais uma vez a cena musical. A trajetória brilhante e talentosa dos Novos Baianos merece uma Baby como nos velhos tempos: vigorosa, intrigante e dona de uma presença de palco emocionante.

Pode sonhar em rever o velho grupo quase anarquista que ousou viver do modo como achava conveniente em um sítio de Jacarepaguá e que “andava” para as gravadoras inaugurando uma nova era musical com a mistura de rock, samba, frevo e muitos outros.

2 comentários:

Keyla Corrêa disse...

Oii Anderson,

Fui deixar um recadinho no sue orkut e observei que vc tem um blog. Não sabia. Eu tb criei um. Inaugurei essa semana. Faça um visitinha por lá. www.moquecaideias.blogspotcom

beijinho e adorei O Sacada.

Fabricio Francelino disse...

Já que a Baby tá na onda gospel, cabe aqui um: ALELUIA! Aleluia para a boa velha sempre nova música, retornando aos palcos e figuradas por seus imortais.